Orgulhos

Diferentes orgulhos passam pela minha cabeça. Se me perguntarem qual é o maior deles, com certeza direi “é ter a mãe que eu tenho”.  Batalhadora, inteligente, qualificada, educada, pagou os próprios estudos na faculdade, gente boa e por aí vai. Poderia dizer milhões de coisas sobre ela, e nunca seria o suficiente. Nunca. Mas aí me vem na cabeça meu tio, que além de meu tio amado, é meu padrinho. Além de meu padrinho, é médico formado pela USP, inteligentíssimo, engraçado, gente boa e tudo mais que eu poderia falar da minha mãe, meio que cabe pra ele também. E daí eu me lembro do meu avô, que teve uma infância difícil, sempre ajudou minha mãe e eu, é engraçado, escreve bem como ninguém, tem uma letra linda, e conta as melhores 3 histórias que eu já ouvi na vida, e que não se cansa de contar de novo sempre que eu peço. O mesmo avô que me chama de Momô, que sabe que eu gosto de chocolate branco, que guardava suas moedinhas pra me dar e que me deixa fazer gato e sapato dele.

E daí eu lembro de mim. Formada em Marketing pela ESPM, abandonei um trabalho pra fazer outra faculdade, Design de Produto, na Belas Artes, porque segui meu instinto e meu coração. Instinto esse que sempre me guiou de forma correta. Sempre me aconselhou bem e nunca me deixou na mão. Eu, que consegui um estágio agora no começo de 2014 e tô realizando e aprendendo muitas coisas novas e legais. Eu, que recebo elogios do meu chefe pelo meu “ótimo” desempenho. Eu, que recebo elogios das outras pessoas que me ajudam no trabalho, porque compreendo rápido as coisas. Eu, que socorro meus amigos quando eles precisam de alguma ajuda com planejamento de marketing. Eu. Euzinha. Que nunca tive lá muito orgulho de mim mesma e de meus feitos. Sim, eu tenho orgulho de ser uma espemiana de coração e de ter feito uma faculdade conceituada e realmente boa. Tenho orgulho de ter dado a cara pra bater em um negócio online que acabou virando físico, mesmo que por pouco tempo. Eu sei o quanto foi difícil e o quanto foi chato ver todas as partes burocráticas. Mas nunca me senti realmente “completa” com tudo isso. Nunca fiquei verdadeiramente feliz com tudo isso. Não até agora. Não até tudo isso me proporcionar o que eu estou colhendo no momento. Pela 1ª vez na  vida eu sinto que não só estou sendo um orgulho pra mim mesma, mas como pra minha família, e não tenho vergonha de nada.  Eu sei que eles ficaram orgulhosos com cada passinho que eu dei, dos menores, aos maiores. Desde passar na ESPM, à arrumar meu 1º emprego, à me formar na ESPM e começar uma nova faculdade. Eu sei que sem eles a torcida e a energia positiva não seriam as mesmas, não teria graça e sem eles eu provavelmente não estaria tão orgulhosa, pois com certeza, eu faço por mim, mas faço por eles. E faço por gosto. E aqui eu percebo como o orgulho que eu sinto por eles, passa pro orgulho que eu sinto de mim, pro orgulho que eu sinto com eles. São orgulhos iguais e tão diferentes, que se juntam, se misturam e se separam, mas são orgulhos que me enchem ainda mais de orgulhos.

2014 apenas começou, e pode parecer meio brega dizer isso, mas eu sinto meu coração vibrar e ansiar por mais. Mais trabalho, mais seriedade, mais saúde, mais alegrias, mais vitalidade e mais garra e vontade. Vamos com tudo, plantar tudo de bom, semear o bem e o bem feito e colher o que a gente merece. Agora é olhar pra frente e ai de quem entrar no meu caminho, que esse ano não promete, já está se cumprindo.

Anúncios

2 thoughts on “Orgulhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s