Maroon 5 lança Cold

cold_maroon4_feat_future

Depois da música Don’t Wanna Know e de ganhar uma estrela na calçada da fama, Adam Levine e a trupe do Maroon 5 lançaram mais um single, chamado Cold, em parceria com o rapper Future.

Diferentemente de suas músicas mais melodiosas e ritmadas, Cold tem uma pegada mais eletrônica e vocais mais “duros”, sem deixar de ter uma letra chiclete, característica óbvia da banda.
É diferente do que eu esperava, mas não de uma maneira ruim. Só inédito. Coisas novas sempre são bem vindas quando bem executadas. O que é o caso.

A música já está disponível para compra digital e também para streaming.

Anúncios

Maroon 5 açucarando casamentos

Ontem o mundo POP ferveu com o novo clipe da banda Maroon 5, Sugar. Nele, os músicos invadem sete casamentos em Los Angeles e fazem uma surpresa aos presentes. Segundo um representante da banda, apenas os noivos sabiam da surpresa.

A música é uma graça, a ideia é incrível e foi super bem executada, a fotografia do clipe é linda, o Adam é um lindão e as caras dos noivos são melhores do que as das noivas.
(Me lembrou Birthday, mas diferentemente da Katy Perry, o clipe não ficou de mau gosto)

O clipe surpreendeu tanto as pessoas que já foi visto mais de 4 milhões de vezes em apenas dois dias.

Maroon 5, começou 2015 com tudo. Amei. E que venham mais clipes assim e menos como Animals. hahahah

Show Maroon 5 (Abertura Keane e Javier Colon)

Domingo, dia 26/08/2012, rolou o show do Maroon 5 aqui em São Paulo. Foi lá no Anhembi, e eu fui.

Pra quem quiser assistir o show na íntegra, tem aqui nesse link. E fotos oficiais aqui.

Fui de carro com Lelê, Cami e Fabinho.

Paramos no estacionamento que custou R$25, o que eu achei um preço bom, justo.

(Antes de falar sobre o show em si, tenho alguns comentários pra fazer sobre a falta de organização da  XYZ Live.)

Diferentemente do POP Festival (que tmb foram eles que organizaram), tinha um fila absurda, mas mal organizada pra caramba, não tinha gente pra informar o lugar certo, mas enfim, achamos o final e ficamos lá esperando. Quando começou a andar já eram mais de 17:20 (portões iriam ser abertos às 17h). Até aí, ok.
Quando ia chegando mais perto, tinha que entrar numa espécie de “caracol” de fila, que tinha umas 4 voltas muito compridas. Quando a gente estava indo pra última volta, alguém da organização do evento abriu uma das voltas anteriores e começou a gritar dizendo que quem estava ali poderia ir direto pra catraca, ou seja, aquelas pessoas que estavam atrás da gente na fila passaram na frente facilmente. Fora que nessa mesma “fila” tinha um super buraco no meio e quem estivesse chegando naquele momento poderia entrar.
OLÁ ORGANIZAÇÃO da XYZ LIVE, TUDO BEM? FILA SERVE PRA QUÊ MESMO? PRA PEGAR TROUXA, SÓ SE FOR, NÉ?

Entramos e ficamos esperando naquela luz vermelha bacaninha.

Daí começou o show do Javier Colon, que foi bem….neutro.
Eu assisti The Voice, acompanhei o cara ganhar e tals, mas vamos combinar 3 coisas:

1- Todo mundo Eu assistia por causa do Adam, do Cee-Lo e da Xtina (sim, o Blake é um fofo, mas eu nem conhecia ele antes disso);
2- Acompanhar a vitória dele não quer dizer necessariamente que eu queria ver um show dele;
3- Aqui no Brasil ele não embalou. Lá nos EUA ele pode ser muito conhecido, mas 98% das pessoas que estavam na Arena Anhembi não sabiam o nome dele e muito menos que ele tinha participado do The Voice.

O ápice do show dele foi quando ele cantou “Time After Time”, que todo mundo cantou o refrão junto e em “Fix You”, do Coldplay. (Ah é, e quando ele tocou a música do Michel Teló e a galera cantou)

Depois veio Keane, que fez um show bacaninha.
Is It Any Wonder, Everybody`s changing e Somewhere Only We Know foram as mais cantadas, óbvio.
Tom Chaplin é uma graça!!!! Um fofo mesmo, super simpático, animadinho, lindinho… E parecia um tomate de tão vermelho que estava! hahahahah Acho que alguém andou visitando as praias do Brasil…..
E aquele sotaque? *-*
Mas não animou muita gente não.

E então entraram Adam Levine e trupe para a alegria de 30 mil pessoas.

O show foi muito legal, Adam sabe rebolar, sabe como ser sexy, engraçado e fofo ao mesmo tempo que canta e encanta e faz a gente babar.

Lembro bem dele falando “Nesse show específico nós descobrimos quantos ingressos foram vendidos, que estavam esgotados faz um bom tempo, e quando descobrimos falamos ‘puta merda’. 30 mil pessoas estão aqui hoje. Isso nunca aconteceu antes (de vender tudo). Nunca na história da banda. Muito obrigado.”

Eles tocaram muitas músicas do álbum novo (incluindo a linda Wipe Your Tears), e os hits antigos.
Eu, pessoalmente, queria muito que eles tivessem tocado The Man Who Never Lied e Goodnight Goodnight.
Won`t Go Home Without You foi linda demaaaaaaaaaaissss, só não curti muito a introdução vocal que o Adam fez, parecia que tava cantando no coro da igreja….
Misery foi demais, This Love nem preciso falar, né? O povo cantava tão alto que não dava pra escutar o Adam cantando, assim como em She Will Be Loved (ACÚSTICA, A COISA MAIS LINDA DO MUNDO) e Moves Like Jagger, que foi a mais cantada.
As versões de Seven Nation Army e Sexy Back, que ficaram bem legais, me lembraram FF, pq o vocalista vai pra bateria e quem canta é um loiro cabeludo, no caso, o guitarrista James Valentine.

No geral foi um show muito bom, as pessoas até que não estavam se apertando e matando tanto, tava até legal nesse ponto, mas achei curto. 1h30 de show pra quem já viu 3 shows de 2h30 do FF e um de quase 3h do GD, é pouco. hahahahahahah

E o som tava bom, mas tava meio difícil de entender o que eles falavam quando não estavam cantando, mas daí eu já não sei dizer se era o povo em volta enchendo o saco ou se era o som mesmo.
Ah! Quase ia esquecendo que achei os telões baixos. Logo de cara quando eu entrei na Arena já previ isso, e realmente, se estivessem um pouco mais altos, iam ser mais bem aproveitados.

E gente, o que é aquele homem? Lindo é pouco pra ele. Meu Deusssssssssssssssss.
Se pela tv, em fotos, vídeos, ele é lindo, ao vivo é perfeito. Como pode o Adam ser tão lindo???