Saiu Castle On The Hill, novo clipe de Ed Sheeran

Ed Sheeran, nosso ruivinho favorito, está de volta após um tempo sumido! Depois de quase 3 anos do lançamento do álbum sucesso “X” e de ficar 1 ano longe de suas redes sociais, Sheeran retornou de seu recesso com duas músicas simultâneas lançadas em 6 de Janeiro: Shape Of You e Castle On The Hill.

Em entrevistas revelou que tinha mais de 230 músicas prontas para serem selecionadas ed_sheeran_dividepara o novo trabalho, das quais 12 serão apresentadas no dia 03 de março, no novo álbum que se chamará ÷ (fala-se “divide”).

De acordo com uma entrevista ao Breakfast Show, programa da BBC Radio 1, Ed disse ter escrito Shape Of You para a cantora Rihanna, mas acabou desistindo ao perceber que algumas frases não eram muito o estilo dela. Sorte a nossa, pois a música foi lançada como single, já está tocando nas rádios e tem versão lyric video e clipe.

Castle On The Hill, acaba de ganhar um clipe lançado hoje, que conta com a participação de amigos reais do ruivo. Bem legal, hein?

Pelo que podemos ver ele não está de brincadeira e 2017 promete ser mais um ano regado de muito Ed Sheeran. Eu não sei vocês, mas estou doida para ouvir o trabalho completo dele. Chega logo, dia 03 de março!!

Atualização em 30/01/2017

Mais um tiro do sr. Sheeran! O cantor acaba de divulgar o clipe da música Shape Of You, que você também confere aqui. 😉

Anúncios

Ouvi: Mind Of Mine, do Zayn

Eu gosto de pop desde sempre, mas nunca me vi fã de Bieber, Zayn, One Direction e demais coleguinhas pops, até 2015 e 2016 me mostrarem que, como diria o grande Justin Bieber, nunca podemos dizer nunca, mesmo.

Eu já disse aqui que as novas músicas do Justin me pegaram desprevenida e me conquistaram, uma a uma. One Direction, após a saída de Zayn, também tem me conquistado, tenho que confessar que não consigo parar de ouvir “Perfect” e achei o clipe incrivelmente perfeito (ok, nem foi de propóstio essa piadinha sem graça). Coloco pra tocar no spotify e deixo lá tocando, repetidas vezes, durante um longo período. Coisa de louca? kkkkkk

zayn-mind-of_mineMas não é só “Perfect” que me deixa assim. Quando lançou sua primeira música de carreira solo, chamadaPillowtalk“, Zayn Malik abalou minhas estruturas, viciou meu spotify e enjoou meus fones de ouvido. Virou um sério caso de amor com essa música de pegada diferente, com clima meio sexy, com batidas eletrônicas, vocais  fortes e marcantes. Um claro single maravilhoso.

Então hoje, 25 de Março, o cantor lançou seu primeiro álbum solo, chamado “Mind Of Mine“, com 18 músicas e uma capa muito fofa. (Impressão minha ou faz exatamente 1 ano que ele saiu do 1D?)

Após ouvir o álbum, algumas coisas me chamaram a atenção:

Até a 6ª música não fica muito clara a intenção do cantor, para mim, com exceção de Pillowtalk, não há nada demais ou que mereça grande atenção. Temos músicas medianas, sem grandes explorações vocais (além de em “iT’s YoU“), sem inovações de ritmo/batida e sem grandes novidades musicais no geral.

É depois de “INTERMISSION: floWer” que o álbum começa a destacar a voz, as batidas e se diferenciar de outros artistas do gênero R&B/Eletrônico. Músicas mais animadas, dançantes e menos comuns.
Há claras influências de Usher, Justin Bieber, The Weekend e algumas introduções me lembraram muito Adele.

É um álbum bom. Tem seus destaques como  BeFour“,rEaR View“, a incrível “fOoL fOr YoU” e as  ótimas e agitadas “LIKE I WOULD” e “SHE DON’T LOVE ME” (impressão minha ou tem uma pegada meio anos 80 essa música?), deixando as melhores para o fim. Mas não se distancia demais de outros artistas pop masculinos que investem em um pop mais parado, mais baladinha do que dançante. Consigo entender porque talvez Zayn não estivesse feliz, musicalmente falando, no 1D, já que é mais calmo do que os álbuns do seu antigo grupo, mas dizer que ele inovou ao extremo, não podemos dizer.

Algumas músicas me passaram a impressão de que não estavam finalizadas, estavam cruas ou sem a merecida produção, como se os arranjos estivessem incompletos e com a pressa foi entregue assim mesmo. Se foi intencional, ok, mas não entendi o motivo.

Vou ser sincera e dizer que esperava mais. Não sei se por ter amado Pillowtalk num nível muito extremo, talvez. Esperava muito mais que um álbum nota 7. Esperava, após todo o barulho que ele fez, mais hits que eu iria amar e menos músicas que provavelmente só ouvirei uma vez, afinal, das 18 músicas lançadas apenas 6 me chamaram a atenção de verdade. Pode ser que no futuro minha opinião mude, mas por enquanto, sigo achando que ele tem capacidade para mais invenções, vocais, letras e ritmos.

Agora, Zayn, gostaria de saber o motivo dessa frescura toda em escrever TuDo aSsIm. CoISa ChAtA e inFaNtiL. ¬¬

Junto com o álbum ele lançou o clipe de “BeFoUR“, sua nova música de trabalho.

Foreverly: Billie Joe + Norah Jones

O que acontece quando Sr. Billie Fucking Joe Armstrong, mais conhecido como vocalista do Green Day, resolve fazer uma homenagem aos The Everly Brothers (importante dupla que fez sucesso nas décadas de 50 e 60, com um som rock com clara influência do country)? E mais, chama nada menos que a Srta. Norah Jones para participar do projeto também?

A resposta: um cd incrível…de country.

foreverly_billie_joe_+_norahOs dois juntos gravaram como Billie Joe + Norah, e o trabalho, que recebeu o nome de  “Foreverly“, é a regravação do álbum “Songs Our Daddy Taught Us“, de 1958.

A ideia surgiu quando Billie se encantou pelo trabalho da dupla The Everly Brothers e decidiu regravar algo deles, mas queria alguma voz feminina para acompanhar, e então dona Adrienne Armstrong vulgo mulher do Billie, sugeriu Norah Jones, porque ela é capaz de cantar tudo. E ela realmente é, né?!

Parecia improvável que o Jesus do subúrbio, filho da raiva e do amor, se juntasse à pacífica e melodiosa Norah Jones, já que os estilos são tão gritantemente diferentes, mas a mistura deu mais que certo, pois o resultado é um álbum inteiramente delicioso de se ouvir.
Do início ao fim é possível se deixar viajar pelos arranjos novos, melodias harmoniosas e a voz calma e doce dos dois juntos, que só se separam em Barbara Allen e em I`m Here To Get My Baby Out Of Jail.

Lembra um pouco Cash e Carter, em suas devidas proporções, claro.

Espero que não seja o único trabalho que eles lancem juntos, porque eu realmente adorei e gostaria muito de vê-los em mais situações diferentes, não necessariamente no country novamente.

O cd vai ser lançado oficialmente dia 25 de novembro, e já é possível comprar em pré-venda na Amazon e no iTunes. Aqui no Brasil, só em 13 de dezembro (mas Submarino e Americanas já estão vendendo o.O), pelo que eu tô sabendo. Mas já é possível ouvir o álbum inteiro em vários lugares, como aqui. E no SoundCloud da Warner tem também uns trechos dos dois falando sobre o trabalho, sobre a sintonia dos dois, comentando algumas músicas, é bem legal.

billie_norah

1 – Roving Gambler
2 – Long Time Gone
3 – Lightning Express
4 – Silver Haired Daddy Of Mine
5 – Down In The Willow Garden
6 – Who’s Gonna Shoe Your Pretty Little Feet
7 – Oh So Many Years
8 – Barbara Allen
9 – Rockin’ Alone (In An Old Rockin’ Chair
10 – I’m Here To Get My Baby Out Of Jail
11 – Kentucky
12 – Put My Little Shoes Away

O clipe de Silver Haired Daddy Of Mine foi lançado já:

billie_norah_sorrinfo

Avril Lavigne

Lembram quando eu mostrei o clipe de Here`s To Never Growing Up e disse “Avril, estou aguardando para ver se esse álbum novo vai ser melhor e a gente voltar a se entender, ok?;)“?????
Então, esse dia chegou.

avril_lavigne_album

Na terça-feira agora, dia 5/11 eu tava passeando pela Saraiva e vi o novo CD, chamado Avril Lavigne, para venda. Eu sabia que tinha sido lançado agora, mas não sabia que tinha sido no mesmo dia. Decidi comprar pelos velhos tempos de fã apaixonada (sdds 2002), afinal, já fazia um tempo que estava desanimada com os trabalhos da loirinha. Já fui ouvindo no carro, e, para minha surpresa, adorei o álbum, que é produzido pelo LA Reid, que foi quem descobriu a moça quando ela tinha 15 anos, e produziu o 1º, e melhor, álbum, Let Go. Eles deveriam sempre trabalhar juntos.

Avril Lavigne é novo, é revigorante, tem batidas deliciosas, é pop, é engraçado, é doce, e prevejo vários hits. Sério, de 13 faixas, acho que umas 9 podem ser singles, contando já com os 3 lançados. Deve tá cheio de auto tune nesse cd, pq quando assisti os 2 shows dela aqui em 2011 (foi 2011? hahahahaha) ouvi desafinar várias e várias vezes, mas WHO CARES? O cd tá incrível. MESMO. MESMO. MESMO. Pra nenhum fã de Let Go botar defeito.

Rock n Roll

Apesar de não ter gostado do clipe, achei uma delícia só a música. Animada, com batidas legais, fica mesmo na cabeça. Não a toa, já foi lançado como single, né?

Here`s To Never Growing Up

Bom, eu já manifestei o quanto eu amei essa música, não só por ser deliciosa de ficar ouvindo vezes seguidas, mas pela letra, pelo clipe, pela Avril vestida de Skater girl em homenagem aos antigos fãs e à sua carreira. Uma das minhas preferidas.

17

É a que, na minha opinião, mais lembra o Let Go, mas também é uma delícia de ficar ouvindo. Musiquinha chicletinho, com refrão bem marcado e fácil de ser decorado. Possível single, sim ou claro?

Bitchin` Summer

Das mais agitadas, acho que é a minha favorita. Batida super gostosa, letra despretensiosa, parece música de verão mesmo, quando vc reúne a galera, sabe? Vira single fácil fácil.

Let Me Go (Com senhor Lavigne Chad Kroeger)

Uma música mais calma e com letra um pouquinho mais romântica. Não vou dizer que é a minha favorita, porque não é. Mas tem uma proposta diferente do resto do álbum, eu achei. É o atual single da moça.

Give You What You Like

A baladinha do álbum, e minha favorita. É a mais calma e mais “intensa”, com uma letra menos divertida, e mais honesta. Mais sentimental, mas não melosa. Mas com os mesmos refrões chicletes e potenciais de single. É acústica.

When you turn off the lights
I get stars in my eyes
Is this love?
Maybe someday
So, don’t turn on the lights
I’ll give you what you like

Bad Girl (feat. Marilyn Manson)

É muito rápida essa música e um pouco mais “dark”, claro. Mas é bem divertida, como não poderia deixar de ser. Achei que apesar de improváveis, a parceria deu muito certo.

Hello Kitty

Aqui a Avril volta a falar japonês e é claramente  a que tem a letra mais divertida de todas. É bem animada e rápida também.

You Ain’t Seen Nothin’ Yet

De volta às batidas de possíveis singles, Avril nos traz alegria e energia com essa música, e lembra até um pouco The Best Damn Thing. Gostei muito.

Sippin’ On Sunshine

Mais uma das que eu mais gostei, e que eu acho que faria sucesso se fosse single. Mais uma sobre rapazes, mas isso não é uma coisa ruim, é? Letra chiclete, batida gostosa. Eu adorei muito essa.

Hello Heartache

Aqui a batida fica menos intensa, mas não calma, e eu achei realmente boa. As diferenças entre Avril e algum namoradinho dela realmente se encaixaram muito bem no ritmo.

Falling Fast

Mais uma acalmada no ritmo da música, já anunciando o final do álbum, mas sem perder a qualidade. Aqui a moça conta as coisas boas que esse novo amor trouxe pra ela. Seria sobre o Chad?

Hush Hush

A última música do disco é mais parada, mas não estática. Tem seu ritmo diminuído pra contar a história de um amor que aparentemente não deu certo. Não vou dizer que tá no meu top 5 do álbum, mas com certeza não é ruim. Só é mais calma e dá uma quebrada no álbum que é todo pra cima, mas achei bom porque não parece que “acabou a música no meio da festa” se tivesse sido uma mais agitada. Me lembra mais o álbum Goodbye Lullaby.

Realmente achei o cd muito bom mesmo e traz novos ares pra carreira da moça, que estava precisando, pois a concorrência está grande!! E ela conseguiu com honra, pelo menos eu achei. Remete à aquela cantora que eu conheci no começo de carreira, mas de uma maneira nova, transformada e madura, claro. Avril, parabéns e continue assim, que vc arrasou! 😀
Não consigo parar de ouvir. Já deve ter tocado mais de 10 vezes aqui em casa. Em em menos de 24h.